Ao receber cédulas falsas e repassá-las a outras pessoas, o ato pode configurar crime; veja como identificar notas adulteradas e afastar esse risco

Nesta semana, o Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu que se um cliente receber notas falsas ao fazer saques em caixas eletrônicos, os bancos serão obrigados a restituir imediatamente o valor correspondente. Até então, não havia uma regra fixa, e a burocracia já fez com que a troca demorasse até 180 dias.

A nova regra, no entanto, só vale para notas sacadas nos caixas eletrônicos, e não recebidas, por exemplo, como troco no supermercado. Nesse caso, o cliente não tem direito a ser ressarcido depois, a não ser que perceba na hora que recebeu cédulas falsas. Por isso, saber identificá-las é o único jeito de evitar a péssima sensação de ter sido roubado.

Banco Central recomenda recusar imediatamente a nota se você perceber que ela é falsa, até porque, mesmo que você aja de boa fé ao receber uma cédula falsa, repassá-la a outras pessoas, sabendo de sua falsidade, é crime. O Código Penal prevê multa e reclusão por períodos que podem variar entre seis meses e dois anos.

As notas falsas devem ser levadas a qualquer agência bancária para serem encaminhadas ao Banco Central. Só este ano, o BC recebeu mais de 148 mil cédulas falsificadas, a maioria proveniente de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Ceará.

Todas as notas de real verdadeiras têm elementos de segurança que permitem checar se elas são autênticas. Esses elementos são diferentes entre as notas antigas, de 1994, e nas notas mais recentes, de 2010. Veja como identificar se uma nota é verdadeira ou falsa, em cada uma das famílias de notas:

Nas notas de 1994 e de 2010

1. A marca d´água

Ao segurar a nota contra a luz, você observa figuras na área clara e lisa da cédula, em tons claros e escuros. O desenho é como se fosse uma marca d´água.

2. O papel

A cédula é impressa em um papel que tem uma textura mais firme e áspera do que um papel comum.

3. O relevo

Ao tocar na nota, dá para sentir um relevo em algumas áreas, como na legenda “República Federativa do Brasil” e nos numerais que indicam o valor da cédula.

Nas notas de 2010

1. O número escondido

Em um lugar com bastante luz, se você colocar a nota na altura dos olhos, na posição horizontal, você verá um número escondido ao lado direito da cédula.

2. O quebra-cabeça formado pela frente e pelo verso

Ao colocar a nota contra a luz, você verá que o desenho do verso completa o desenho da frente, formando um número, em uma espécie de quebra cabeça.

3. Os elementos fluorescentes

Se você olhar para as notas com uma luz ultravioleta, verá que os números do verso mudam de cor e que dá para enxergar fios da cor lilás, que só podem ser vistos com esse tipo de iluminação.

4. As microimpressões

Com uma lente de aumento, você pode ver o valor da nota impresso em tamanho muito pequeno em várias áreas da cédula.

Nas notas de 1994

1. A sigla BC

Ao observar a frente da cédula, no canto inferior esquerdo, dá para ver a sigla BC.

2. O símbolo das Armas Nacionais

A estrela do símbolo das Armas Nacionais aparece nos dois lados da cédula. Ao olhar a nota contra a luz, o desenho impresso de um lado se ajusta exatamente ao desenho do outro lado.

Comentários do Facebook