Número de pacientes com AIDS aumenta nos últimos anos

Número de pacientes com AIDS aumenta nos últimos anos
Em Maringá, de 2015 a 2018 foram registrados 840 casos de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS),  sendo 702 homens e 137 mulheres. De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria Municipal de Saúde, nos últimos quatro anos, os casos de AIDS cresceram em maioria das faixas etárias, principalmente entre jovens e adultos, de 20 a 29 anos, acumulando cerca de 384 pacientes.
A coordenadora do Serviço Assistência Especializada (Sae), Suelen Teixeira Faria, explica que maior parte dos pacientes soropositivos é jovem por ser uma população sexualmente ativa, com muitos solteiros, o que supõe parceiros diferentes em períodos pequenos de tempo.
O número de casos também é maior para a população masculina pela relação entre homens. “O sexo anal desprotegido oferece maior risco de transmissão”, esclarece. Para ela, a melhor forma de diminuir os índices da doença é a prevenção. “Usar a camisinha ainda é o modo mais eficaz para evitar a doença”, reforça.
A rede pública de saúde, por meio do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), disponibiliza, gratuitamente, preservativos masculino e feminino para a população, além de gel lubrificador para evitar rompimento do preservativo.
O ideal é fazer os testes rápidos para HIV, Sífilis e Hepatite B e C, também disponibilizados pelas UBS e pelo CTA (segunda a quinta, das 7 às 16 horas). Os resultados são emitidos na hora. Além do teste rápido, há o convencional, com mais informações, o que leva dias para sair o resultado. Os exames são realizados de forma segura e sigilosa.
Após diagnóstico positivo do vírus, o tratamento é realizado por multiprofissionais. Não há cura efetiva, mas a doença pode ser controlada com medicamentosos. O coquetel é oferecido pela rede pública. Quando é feito o tratamento, as pessoas com o vírus têm a mesma expectativa de vida das pessoas que não têm a doença.
Vírus
Descoberto nos anos 1980 no Brasil, o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) é o causador da AIDS, doença que deteriora o sistema imunológico da pessoa, atacando as células do sistema de defesa, chamadas CD4.
O HIV torna a pessoa vulnerável a outros vírus e bactérias. Quando o paciente contrai essas  infecções “oportunistas”, considera-se que ele tem a AIDS. Enquanto não há os sintomas da doença, é considerado HIV.
Os sintomas surgem depois de 5 a 10 anos que a pessoa adquire o vírus, tempo suficiente para ele se fortalecer e atingir fortemente o sistema imunológico. Antes disso, normalmente, o indivíduo com HIV não sente, nem sofre com a doença. Por isso, é importante fazer testes e exames de rotina para o diagnóstico e o tratamento precoce, evitando estágios mais potentes do vírus.
Saiba mais 
Centro de Testagem e Aconselhamento
R. Tabaete, nº 396, Jardim Tabaete
Aberto de segunda a quinta, das 7h30 às 16h
(44) 3293-8330
Serviço Assistência Especializada (Sae)
R. Tabaete, nº 396, Jardim Tabaete 
Segunda a sexta, das 7 às 18 horas
(44) 3293-8334

Via PMM

fator37

Post Relacionado
Deixe um Comentário