Se você já passou pela dor de perder uma pessoa que ama, sabes o que é o luto em si, mas neste espaço não iremos tratar do luto de quem já morreu, mas sim de quem ainda está vivo(a), classifico o luto como uma angústia imensurável, que agudamente lateja em todos os cantos de sua alma. Este é processo natural de origem sentimental que ocorre quando nós seres humanos e até mesmo os animais, vivenciam uma perda relativa e de importância emocional para esse ser.

Mas você já parou para imaginar que muitas vezes estamos de luto por alguém que ainda não morreu?

Já sofri com a morte de pessoas importantes, de animais de estimação, de um carro que não queria vendê-lo, pois é, até de um carro! Pois o sentimento de derrota e de ter perdido algo é o mesmo sentimento de luto.

E quando perdemos alguém que amamos, ou que aprendemos a conviver e gostar desse pessoa?

Isso também é um luto, muitas vezes guardamos lutos por pessoas vivas, sabe aquele sentimento de perder a amizade por algo idiota? Então é mais ou menos isso!

Como todo sentimento negativo, o luto pode nos ajudar a refletir sobre nós, sobre nossos sentimentos e sobre os próximos passos a serem dados, o problema é que nós seres pensantes (nem tanto), focamos somente na dor, no sentir pesar. Precisamos refletir que a vida continua, que o mundo não vai dar a mínima para você, que o ônibus da alegria não vai esperar você se recompor para voltar a ocupar a sua poltrona.

Guarde seus lutos sim, mas saiba que é necessário o quanto antes erguer a cabeça e abrir a mente. Quem morre de fato, nada podemos fazer a não ser orar, mas quem ainda está vivo e nos colocou na posição de luto a favor dela, ah, essa pessoa precisa compreender que você é mais, e que na realidade quem perdeu foi ela.

Escolha os choros que quer chorar, nem todas as lágrimas compensam serem derramadas.

Comentários do Facebook